Paris (5)

Este artigo está na(s) categoria(s) Uma noiva no blog!.

estão com pique? Tem que estar! Para economizar o lema é: disposição hahahaha. verdade.

acordamos com chuvinha e sem guarda-chuva :-O primeira parada: Arco do Triunfo. O plano era ir outro dia, mas quando chegamos estava tendo uma reunião por causa do feriado e estava fechado…OK, mudamos os planos a agenda e voltamos outro dia.

Subimos nele, estava incluso no Paris Pass Museum. É uma escadaria punk também, tipo Notredame, mas…vá!!!! Não deixe que seus limites pare sua viagem. Faça dentro da sanidade mas, aproveite tudo!!!

Tinha senhora subindo as escadas, devagar, mas subindo!

A vista é surreal. Reune todas as avenidas mesmo e você vê todos os pontos de lá.

próximo ponto: museo do Rodin. O Rafa é fanzasso, e tinha que visitar! E olha…é lindo demais…vão! Arte pura, a casa e o laboratório de Rodin.

Eu tava dando um pequeno chilique pela chuva hahaha, mas segurei a onda até achar um guarda chuva barato. De lá fomos para Sacre Creur. Vai de metro até redondezas e anda até os pés da escadaria da igreja, na parte de trás. Tem um trenzinho que sobe e desce e custa o bilhete de um metro. Subimos nele porque as costas do Rafa estavam doendo, e descemos a pé porque na frente os degraus são mais espaçados.

A chuva deixou os vendedores em casa rs, e não vi ninguém de quem os site falavam que te puxavam, vendiam coisas, colocavam na sua frente, etc….

(esses vendedores vi perto da Torre, mas finge que é de lá e ignora)

Estava tendo missa, vi um pouco, olhei a igreja que é bem bonita e descemos. Passamos pelo Moulin Rouge. Não, não fui 🙁 mas, não fez tanta falta. O bairro é para se ficar esperto andando.

E andamos nos arredores de Montmartre que é o bairro da igreja, e….da Amelie Poulain!!!

Paramos lá para almoçar 🙂 o Cafe Des 2 Moulins

Conversamos com um garçom de lá, costume que temos, para conhecer mais da cultura, país, loca, hábitos… e pedimos o almoço. Eu comi um peixe dourado, sim, me arrependo, sim. E o Rafa um pato, que estava com uma cara deliciosa.

Continuando o passeio, passamos pela igreja da Trindade, Capela Expiatória e Pallais Garnier. Tudo fechado 🙁 me chateei…uma atraso levou ao outro e isso mexe muito no cronograma. Quando se está sozinho tem que ficar bem atento. E infelizmente vacilamos. Não fez falta, mas o Pallais Garnier, a ópera, queria muito ter ido…

Pegamos o metrô e fomos conhecer a Galeria Lafaiette. Descemos na praça da Bastilha que não conhecíamos, nem no roteiro, aprendemos um pouco e continuamos andando e…o choque da Galeria. É…estonteante de tão linda. E de tão chique. Muitas marcas. Um shopping aberto, sem paredes. E tudo muito bem decorado, arrumado, perfumado…perfeito.

Era perto do Natal, então estava mais mágica ainda. Uma árvore de ponta cabeça decorava lá.

Suspiros passou por minha cabeça…

Saindo de lá nos demos conta que ainda não tínhamos provado um Boeuf Bourguignon, e começamos a caçar um lugar! Aparentemente é um prato ‘do dia’ e o dia que estávamos buscando ele não era o dia dele, hahahaha, mas achamos! Foi no Au Bourguignon Marais (especialista nisso! vale ir!)

IMG_3611 IMG_3613 IMG_3617 IMG_3620 IMG_3630 IMG_3636 IMG_3638 IMG_3641IMG_3646IMG_3648IMG_3651IMG_3657IMG_3661IMG_3667IMG_3673IMG_3679IMG_3704IMG_3708IMG_3710IMG_3712IMG_3717IMG_3723IMG_3727IMG_3729IMG_3731IMG_3734IMG_3740IMG_3742IMG_3744IMG_3746IMG_3748IMG_3750IMG_3752IMG_3756IMG_3757IMG_3763IMG_3765IMG_3766IMG_3772IMG_3790IMG_3774IMG_3776IMG_3778IMG_3780IMG_3792